PESQUISE A BIBLIOTECA DO NOTICIÁRIO-EVANGÉLICO

Thursday, August 21, 2008

MASP expôe relíquias do cristianismo

"Tesouros da Terra Santa" leva ao Masp relíquias do cristianismo

Exposição reconstrói o período bíblico com objetos históricos vindos de Israel - no Masp até 02 de novembro de 2008

FONTE: http://www.abril.com.br/noticia/diversao/no_296295.shtml

 
Divulgação/ Masp
Masp traz reconstrução de igreja bizantina do século seis
Masp traz reconstrução de igreja bizantina do século seis

"Tesouros da Terra Santa - Do Rei David ao Cristianismo" é a nova exposição em cartaz no Masp. As peças exibidas vieram do Museu de Israel, em Jerusalém, e procuram reconstruir os cenários imortalizados pela Bíblia e pelas centenas de livros e filmes que retratam o período. Caminhando pelo Masp, o “explorador” poderá se deparar com moedas milenares, uma pedra com referências a Pôncio Pilatos e até uma reconstrução de como seria o ambiente da Santa Ceia, com copos e pratos usados no período. Alguns objetos servem como prova de que os eventos bíblicos realmente podem ter acontecido. Outros contradizem as informações contidas nos versículos do Velho Testamento. 

A primeira incongruência entre a evidência histórica e a religião está na entrada da exposição. A estela – monólito de um só bloco com inscrição ou desenhos – faz referência ao assassinato de Acazias, rei de Judá, por Hazael, rei dos arameus. Só que o relato bíblico, em 2 Reis 9:24-27, diz que o assassino foi Jehu, rei de Israel. Infelizmente, o objeto em exposição é uma réplica da original.

Luiz Calina, coordenador geral da exposição, explica que alguns objetos não saem de Israel, dado suas fragilidades, raridade e distância em relação ao Brasil. No entanto, Calina ressalta: “A exposição traz um conceito inédito em nível mundial, já que nunca foi feito algo parecido com o mesmo período histórico”.

O coordenador lembra também que as 150 peças, cerca de 150 toneladas, tiveram a sorte de virem para o Brasil no período em que o Museu de Israel está fechado para visitação, pois em um período normal, trazer os objetos para o país seria impossível. 

A primeira parte da exposição segue com objetos do período israelita (1000 a.C. - 586 a.C.), destaque para as representações humanas feitas pelos judeus deste período, apesar da proibição do texto bíblico. A explicação está no fato de que estas representações não eram feitas com o intuito de adoração. 

A exposição segue com o Período do Segundo Templo (538 a.C. - 70 d.C), construído por Herodes, o Grande. O destaque é para um busto de Alexandre da Macedônia. Nesta mesma seção, encontra-se o didático exemplo do “meio shekel”, a moeda de prata que deveria ser doada ao Templo, exibindo o “dinheiro” que era usado no período.

Jesus
Boa parte de “Tesouros da Terra Santa” é dedicado a objetos da época de Jesus. Nunca foi encontrado algum artefato que provasse sua existência e a exposição revela esta dificuldade.

São três ossuários que trazem nomes como Maria, escrito em grego, e Jesus, escrito em aramaico, ou seja, a prova de que estes nomes eram comuns na Palestina, por volta do ano 0. Do mesmo modo, jarros usados para armazenamento de vinho e copos e pratos utilizados para cear são muito diferentes daqueles, posteriormente, retratados pelas instituições religiosas. 

As peças mais importantes são aquelas que provam a existência de contemporâneos de Jesus, mas não dele: uma pedra com menção a Pôncio Pilatos, prefeito da Judéia, e o ossuário de Caifás, que, no relato Bíblico, condena Jesus à morte.

“Respeitando determinadas coisas não comprováveis, a bíblia é sim um documento histórico”, afirma Calina. Ele também explica que os achados arqueológicos geralmente falam de uma época, e não de um personagem. Daí a importância das peças expostas.

Outro item de destaque é a réplica da única prova da existência da crucificação: um tornozelo preso junto a um prego. Vale lembrar que, mais uma vez, o artefato não prova a existência de Jesus e nem que ele foi pregado em uma cruz. Mas comprova uma prática no período em que teria vivido.

Lado a lado
O Período Bizantino ( 70 d.C. – 640 d.C) é a última parte da exposição e traz a reconstrução de uma igreja do século VI e objetos parecidos de Cristãos e Judeus. A menorá, candelabro de sete braços, símbolo do judaísmo, muitas vezes era feita pelo mesmo artesão que esculpia a cruz em mármore.

Para se ter uma idéia da proximidade entre judaísmo e cristianismo, a palavra grega “eclésia”, com significado de assembléia, era usado no início deste período tanto para designar sinagoga como a igreja cristã.
“Nós temos as duas religiões procurando seus caminhos. Cada uma delas, usando algo de nosso tempo, buscavam como fazer seu marketing, sua identificação”, afirma Calina.

A exposição termina, justamente, na época do surgimento do Islamismo, que modificou as relações sociais e o curso da história na Terra Santa. 

Serviço
"Tesouros da Terra Santa - Do Rei David ao Cristianismo" segue em cartaz no Masp (Av. Paulista, 1636) até 2 de novembro de terça-feira a domingo e feriados, das 11h às 18h; quinta-feira até 20h. Ingressos custam entre R$15,00 e R$7,00. Mais informações pelo 3283-2585.

10+ do Mês no Noticiário Evangélico

Posts Comentados Evangélicos no Mundo Israel Igreja Perseguida evangelização Nacionais Pastores Homossexualismo Evangelho no Mundo Testemunhos Boletim de Ocorrências Evangelismo Islamismo Lançamentos Fim dos Tempos intolerância religiosa contribuição evangélica Fim do Mundo Conflito árabe-israelense Oriente Médio Tempo do Fim muçulmanos Apocalipse Desempenho Evangélico leis apostasia Notícias de Israel Islã Fim dos Dias Eventos anticristo homofobia UniãoNet Bancada Evangelica Homofobia X Liberdade de Expressão TRIBUNAIS Política Fim da Igreja Convertidos Conversões Crimes Heresias Tragédias Arrebatamento Ciência Falsas Doutrinas Falsas Religiões Lei Anti-Homofobia sinais dos tempos Arqueologia Ateísmo Filme Grande Tribulação Ciência e Tecnologia Gospel Music Tribulação Direito de Israel ecumenismo Catolicismo PLC 122/06 Acidentes Degradação Moral Restauração de Israel conversão Bíblia X Apostasia Alerta Bíblico Doutrina ICAR IURD Jerusalém Perversão das Leis Casamento Desvarios das Leis Kit Gay Abominações Governo Mundial ONU Terrorismo Discriminação Educação Sexual Gogue e Magogue Ocorrências Polícia Satanismo anticristos Arca de Noé Drogas Política e Religião Seitas Teologia da Prosperidade Comentários Bíblicos Evangelização em Israel Filme Evangélico Livro fé evangélica Bíblia Cartilha Homossexualizante Criacionismo Fanatismo Religioso Sexo Crise Financeira Desvio de Comportamento Ensino Religioso nas Escolas Mídias Homossexualizantes cultura evangélica curiosidades Justiça dos homens X Justiça de Deus Política versus Evangelho SEMANÁRIO EVANGÉLICOS NO MUNDO Sociedade Bíblica do Brasil - SBB Vaticano meditação bíblica 2012 Antisemitismo Doença Espiritual Ferramentas do Evangelho Kit Promiscuidade Liberdade Religiosa Liberdade da Crença Microchips Nova Ordem Mundial Pastortos Pecado Pornografia STF Santificação religiões unidas Alerta Evangélico Direitos Humanos GLS Pedofilia Profecias Maias ecumênico rainha das religiões Ambiente Idolatria Maçonaria Mordaça Gay Novidades da Informatica Terremotos Tribunais de Inquisição Acordo de Paz Arrependimento Bíblia na China Edificação Espiritual Exportando fé GLBT Habeas Corpus Lutero Nova Era ORU Operação do Erro Processo de Paz Protestante Protestantismo Qumran Softwares evangélicos curiosidades bíblicas restauração sentença divina Abaixo Assinado Agentes do Engano Arca da Aliança Arrebatômetro Calendário Judaico Disciplinando os Filhos Divórcio Evangélicos X Carnaval Judeus Messiânicos Ocultismo: Invasão Silenciosa Programa Brasil sem Homofobia Queda Espiritual Símbolos Pagãos Virgindade besta bússola dourada obra de Deus AH1N1 Adoção Anjo Caído Castidade Deísmo Diabo ECA Megaterremoto PNDH3 Pestes Prêmio Nobel da Paz STJ apóstolos
There was an error in this gadget